Como estudar? · Depoimentos · Para inspiração

Minhas reprovações. O que aprendi. ♥️🌟

Hello, gente! 😉 Hoje me dei conta de que sempre falamos muito do sucesso, mas não falamos muito dos espinhos que aparecem durante a trajetória. Por isso, vou fazer esse post inteiro dedicado às minhas reprovações e o que elas me trouxeram de aprendizado. Comecei a estudar no final de 2014/início de 2015, e com poucos meses de estudos (uns 02 meses, no máximo) fui prestar a minha primeira prova de Procuradoria (PGE RS). Durante a realização da prova, senti – pela primeira vez – a ficha cair. Senti que não era tão “simples” quanto esperava e que eu precisava estudar muito – muuuuuito mesmo – se quisesse ser aprovada. Juro para vocês, até interpretar a prova foi difícil. Entender o que estava sendo perguntado? Só em outra prova, hehehe. Aqui temos a primeira das reprovações, na qual aprendi que precisamos ter muita humildade ao realizar um certame. Como diria meu pai: “o buraco é muito mais embaixo do que vc imagina”. A experiência foi muito válida, não fiquei triste pela reprovação – até porque seria loucura passar tão rápido assim 😂. E, acreditem, nunca fui aluna número 01 de turma alguma. Nem a número 02, hehehe. Logo após esse AVALANCHE PGE RS (só assim p descrever o meu desempenho – fiquei aquém dos 50%), continuei os estudos com muita consciência de que eu precisava estudar muuuuito, muuuuito, muito mesmo. Se eu quisesse “concorrer”, eu precisaria subir meu nível (e pra ontem, porque sempre tive pressa na vida). Poucos meses depois (uns 02), fui prestar minha segunda prova: PGE PR. Ao pegar a prova só pensei uma coisa: ufa! pelo menos estou entendendo o que a prova pede. Meu desempenho tinha melhorado bastante (acima de 65%). Fiquei muito satisfeita. As coisas estavam melhorando e o sonho tinha chance de se tornar real 😍. Até que (…). Terceira prova: advogado para a minha antiga faculdade Uniceub. Na minha cabeça o máximo que podia ocorrer era eu reprovar na objetiva, porque a segunda fase eram peças penais (e eu sempre me considerei ninja nesse assunto!) O que aconteceu? Primeiro lugar na objetiva e… bomba na subjetiva. O inimaginável aconteceu. E aqui eu fiquei triste, muuuuito triste. Acho que fiquei um mês para voltar ao ritmo. A pancada foi doída, mas, de longe, a que mais me ensinou. Jogo ganho só se apita QUANDO ACABA O JOGO! Você pode fazer sua parte, mas quem DECIDE é DEUS! 😉 Ritmo de estudos voltando aos poucos… Edital da PGM Curitiba na área e, logo em seguida, edital da AGU e da PFN. Eu já tinha me inscrito na PGM, comprado passagem, reservado hotel e quaseeee não viajo para fazer a prova com medo de abalar meus estudos para a AGU. Fui. E reprovei, hehehe. Mas isso não me abalou nem um pouco. Nada, juro. Aqui já tinha consciência de que cada dia é um dia e que cada prova é uma prova. PFN: reprovação por 04 pontos. Aqui fiquei MUITOOOOO feliz. Pela primeira vez na vida cheguei muito perto da nota de corte. Pequenas conquistas devem ser comemoradas com a mesma intensidade das grandes ♥️. E, semanas após chega a prova da AGU. Eu tinha focado muito muito muito nesse concurso e queria mais que tudo passar! Fiz a prova. Saí de lá sem saber se tinha ido ou bem. Só pensei em uma coisa: “não sou obrigada a passar, mas sou obrigada a dar o meu melhor. isso é apenas uma prova e eu vou encarar!”. Quando saiu o gabarito preliminar eu tinha ficado bem abaixo da nota de corte que estavam estipulando, mas algo dentro de mim dizia: “deu certo”. Muuuita gente me dizia pra esquecer a prova, que eu não tinha passado… blablabla. Eis que quando sai o gabarito oficial e a lista de aprovados meu nome estava lá. Sem duvidas foi um dos momentos mais felizes da minha vida. Você ver que todo o seu esforço valeu a pena não tem explicação. Não é o cargo, sabe? É a sensação de saber que se você sonha com algo, você pode conquista-lo. É sentir que Deus está com você em todos os momentos e que ele sabe a hora certa e exata de tudo acontecer.

Um beijo grandeeeeee! ♥️
Espero que gostem do texto, fiz com muito carinho.

9 comentários em “Minhas reprovações. O que aprendi. ♥️🌟

  1. Natália, muito obrigada pelo texto.
    Estou no entre provas do TJSP e foi muito importante ler a sua experiência. Posso dizer que ainda não tinha vivido essa sensação de perda, mas meu desempenho não foi bom no primeiro dia. Foi difícil seguir essa semana, mas li o que precisava. Não tenho obrigação de passar, mas de dar o meu melhor. Seja o que Deus quiser.

    Curtir

  2. Sua evolução foi tão rápida que não consigo acreditar que não era aluna nem nº 1 nem nº 2 hehehe…
    pois seu relato soa como se vc tivesse nascido com o manual da aprovação! Que bênção! No meu caso, foram uns 2 anos só batendo cabeça estudando errado… agora estou há 1 ano e meio e, num espaço de 8 meses entre uma prova e outra, minha nota permaneceu a mesma :((( mesmo com o auxílio de coaches renomados, cursos renomados, dedicação sincera de segunda a sábado, parece que minha jornada vai demorar bastante…

    Curtir

  3. E quando a gente é aprovada, nomeada, mas não consegue adiantar nada na faculdade para tomar posse? E depois disso, começam as reprovações?

    Nunca conheci ninguém que tenha passado pela frustração de passar no cargo que desejava, ser nomeado e não poder tomar posse… você conhece, Natália? Queria um consolo, uma história parecida com essa que tivesse um final feliz.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s