01 ano da Prova Oral da AGU: o que eu aprendi.

IMG_7890.JPGEssa semana fez um ano da prova oral da AGU e como não podia deixar passar em branco essa data, vou escrever um pouquinho pra vocês sobre. Pra facilitar vou dividir em três tópicos: 1) aspectos práticos ; 2) minha preparação; 3) minha impressão.

1. Aspectos práticos da prova oral: o tempo entre a realização da prova subjetiva e a prova oral foram dois meses. Entretanto, entre o resultado oficial e a prova, foram apenas um mês. Na AGU (graças a Deus!) não foram cobradas todas as matérias do edital, apenas seis: constitucional, administrativo, civil, processo civil, trabalho e processo do trabalho – o que facilitou muito. A banca era conjunta, isso é, o candidato era arguido simultaneamente por todos os examinadores, ao passo que todos escutavam sua resposta. Na prova da AGU, as perguntas eram práticas, quase que uma prova discursiva oral. Isso a diferencia das demais provas, porque você acaba conseguindo desenvolver um raciocínio e desenrolar com mais facilidade, mas, mesmo assim, é preciso dominar os conceitos básicos. Não tinham ouvintes na arguição, não teve sorteio de pontos e podia cair qualquer tópico do edital. O tempo máximo de prova correspondia a 25 minutos (eu usei apenas 15 😂).
2. Minha preparação: cheguei nesse estágio de prova, extremamente insegura. Nunca tinha parado pra treinar de fato os conceitos jurídicos, a minha oratória e o meu nervosismo em provas orais. Sentia que meu conhecimento jurídico ainda estava muito deficiente e que isso poderia me prejudicar. Então, resolvi fazer resumo rápidos – uma espécie de mapa mental – de todos as disciplinas com o intuito de revisar o que já tinha estudado para as outras fases e montar uma material de revisão de véspera. São resumos pequenos, mas completos. Por exemplo: Trabalho tinha apenas 30 paginas, mas possuía tudo o que eu precisava dominar. E assim fiz. Tomou muito tempo, mas foi essencial. Na semana da prova, reli todos os cadernos, decorei tudo que tinha ali e confiei. Pra terem uma ideia, minha pergunta de Administrativo eu tinha lido a resposta no caderno na noite anterior à prova. Fui confiante que tinha feito o meu melhor – acho que isso é o mais importante. Confiar sempre em você. Além dos resumos, li Tooodossssss os informativos pelo Dizer o Direito e me atentei bastante aos fundamentos – obrigada, Marcio! Outra coisa essencial foi o treino diário de arguições orais. Fiz um grupo com dois amigos que também estavam no concurso e treinávamos todos os dias. Era muito bacana, porque além de treinar e estudar, eu interagia com meus amigos e tinha uma sessão psicólogo grátis 😹. Fiz também um curso preparatório para prova oral, só que escolhi uma data bem próxima a prova (era a última turma) porque pensei que me sairia melhor no teste. Eu me tornei uma pessoa antes do curso e outra após do curso. Lá eles nos ensinaram algumas técnicas e nos aplicaram um simulado de prova oral. Não deixem de fazer!!! Sério mesmo!
3. Minha impressão: bom, eu queria chorar todos os dias de tanto medo que eu estava da prova oral 😹. Fiquei praticamente um mês sem uma boa produtividade por conta da ansiedade (já disse q sou muito ansiosa, né?), mas a partir de um momento você percebe que a única saída é lutar contra você mesmo. Eu tinha pouco tempo, mas tinha algo para dar o meu melhor. Tinha algo maior que me chamava para me esforçar. Nós concurseiros temos que saber trabalhar o nosso emocional muito bem. Isso é um fator chave para a aprovação em qualquer fase do concurso. Você deve acreditar que vai dar certo, deve trabalhar o seu eu para alcançar o objetivo! E foi aí, quando comecei a acreditar que era possível, que era apenas mais uma fase, que tudo ia ficar bem, foi quando – de fato – começou a dar certo. Obviamente, na noite anterior à prova eu praticamente não fechei os olhos e durante a prova meu coração queria sair correndo 😹. Mas acredite, você sabe alguma coisa. Você chegou ali por algum motivo.
4. Antes de finalizar o texto, quero contar um fato engraçado que ocorreu na minha prova. Ao entrar na sala de arguição, o presidente da banca pronunciou meu sobrenome errado e eu – automaticamente – o corrigi. Na hora fiquei me achando uma ET por ter cometido essa gafe 😂, mas mesmo assim deu certo. Ele fez uma cara feia, mas me deu uma excelente nota 🙏🏻! Pronto. Acho que é isso. Qualquer dúvida é só perguntar. Um beijo e bons estudos! 😘

PS: como vocês podem ver na foto, eu estava morta de cansada, exausta, mas continuava firme e forte nos estudos 😹. Depois de concursada, a gente investe na arrumação.

Publicado por nataliaaglantzakis

Advogada da União. 27 anos. Brasília - DF.

Um comentário em “01 ano da Prova Oral da AGU: o que eu aprendi.

  1. Nathalia!! Você recomenda que esses resumos sejam feitos no preparo pré edital? Ou fazê-los durante a preparação para a prova oral ajuda na memorização?
    PS: Precisarei de muito investimento na arrumação. kkkkk

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: